Home  >>  Publicações  >>  Artigos  >>  Valores Humanos e Assistência Social: Um Estudo com Representantes em Conselhos Municipais

Artigos

Valores Humanos e Assistência Social: Um Estudo com Representantes em Conselhos Municipais

Objetivo:
– Analisar os tipos motivacionais de valores humanos priorizados pelos representantes de Conselhos Municipais de Assistência Social nos municípios do estado de Minas Gerais, buscando delimitar perfis axiológicos entre os participantes do estudo.

Originalidade/lacuna/relevância/implicações:
– O estudo fundamenta-se na teoria dos valores humanos de Schwartz (1992), aplicando suas contribuições para auxiliar na compreensão de uma realidade ainda não explorada nas pesquisas de valores, qual seja a dos Conselhos de Assistência Social no Brasil, não obstante as transformações recentes que vêm experimentando num esforço de mudança de sua própria concepção enquanto política pública.


Principais aspectos metodológicos:

– Os dados foram coletados por meio de aplicação do questionário PQ-21 a uma amostra de 204 respondentes. Foram utilizadas análises descritivas, teste Anova e análises de cluster.

Síntese dos principais resultados:
– Os tipos motivacionais mais enfatizados pelos respondentes foram Benevolência e Universalismo, seguidos por Autodeterminação, Tradição e Segurança, o que revela valorização dos interesses do grupo social e da comunidade, acompanhada de necessidade de afirmação das próprias ideias e preservação de práticas tradicionais e seguras. Cinco perfis axiológicos foram identificados a partir das análises de cluster, observando-se, em quatro deles, a Autotranscendência como característica central.


Principais considerações/conclusões:

– A relevância atribuída aos valores de Autotranscendência e Conservação, nessa ordem, sinaliza certa preocupação com o bem-estar social e a participação política, com tendência, entretanto, à aceitação e à manutenção de práticas tradicionais, que podem dificultar os processos de transformação no contexto estudado. Estudos futuros podem esclarecer tais relações, beneficiando-se da utilização complementar de levantamento qualitativo.

Clique aqui e leia na íntegra.