Home  >>  Pauta do dia  >>  Startups: Como transformar uma boa ideia em negócio?

Pauta do dia

Startups: Como transformar uma boa ideia em negócio?

Você é daqueles que durante uma conversa observou que uma ideia solucionou o seu problema, e se questionou sobre porquê você não teve essa ideia antes? Esta pergunta é muito frequente para aqueles que se envolvem com o mundo das startups, que são as empresas que surgiram de forma empreendedora…

On outubro 21, 2016, Posted by , In Pauta do dia, By ,,, , With No Comments

Você é daqueles que durante uma conversa observou que uma ideia solucionou o seu problema, e se questionou sobre porquê você não teve essa ideia antes? Esta pergunta é muito frequente para aqueles que se envolvem com o mundo das startups, que são as empresas que surgiram de forma empreendedora para solucionar questões presentes no nosso cotidiano de forma inovadora. Boas ideias acabam recebendo investimentos dos chamados investidores anjos e quem ganha com isso é a sociedade. Veja a diferença entre quem colocou a mão na massa e quem somente se pergunta “porquês”.

Ame a sua ideia e deixe que isso inspire as pessoas

Amar o possível negócio mais do que qualquer possível usuário ou parceiro é fundamental, afinal um Plano de Negócios nem sempre acontece como se espera e isso acaba gerando frustrações e abandono do negócio, antes mesmo de um feedback de algum investidor. Por isso, contar com um bom planejamento é diminuir as probabilidades do fracasso.

Ter capacidade de execução com foco é outro aspecto relevante e que pode gerar ganhos intangíveis: um bom serviço ganha fama também pela sua execução séria e comprometida. O mundo das startups não aceita amadorismo ou desconhecimento do próprio negócio, portanto, estudar sobre é fundamental.

Não há garantias, portanto é importante ter ciência dos riscos

Algumas variáveis podem influenciar de forma significativa o sucesso vinculado ao empreendedorismo. Uma dessas variáveis é o planejamento mal feito ou inclusive não feito, ou seja, prever planos de ação e não executá-los, não se ater a possíveis riscos é se auto sabotar. Não ouvir o cliente também é um dos grandes problemas entre empreendedores, que em muitos casos encontram uma solução que se adequa somente ao Plano de Negócios, mas, não se adequa de forma simples a seu público e à realidade. Às vezes a falta de foco ultrapassa o cliente e alcança os concorrentes que rapidamente se antecipam. Ter atenção ao mercado e saber como as empresas reagem frente ao crescimento da sua startup também é importante.
Como em qualquer negócio, os riscos para as startups existem e tentar antecipá-los deve fazer parte do cotidiano.