Home  >>  Pauta do dia  >>  Brasil vai ultrapassar Estados Unidos como maior produtor de soja até 2026

Pauta do dia

Brasil vai ultrapassar Estados Unidos como maior produtor de soja até 2026

Foi publicado nesta segunda-feira, 10 de julho, o informe Perspectivas Agrícolas 2017-2026 da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, e da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, OCDE. O documento oferece projeções de 10 anos, até 2026, para os principais produtos agrícolas. Espera-se que a…

Foi publicado nesta segunda-feira, 10 de julho, o informe Perspectivas Agrícolas 2017-2026 da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, e da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico, OCDE.

O documento oferece projeções de 10 anos, até 2026, para os principais produtos agrícolas. Espera-se que a produção de soja no Brasil suba 2,6% ao ano no período, o maior crescimento entre os maiores produtores, enquanto a produção anual na Argentina deve subir 2,1% e nos Estados Unidos 1%. Em consequência disso, a projeção indica que o Brasil superará os Estados Unidos como o maior produtor mundial de soja na próxima década. Em 2026, os dois países representarão conjuntamente quase 80% das exportações mundiais.

Perspectivas Agrícolas 2017-2026

Segundo o relatório, cerca de 70% das terras agricultáveis são usadas como pasto. Dos 30% restantes, os cereais ocupam 42% das terras cultivadas globalmente, enquanto 14% são destinados a oleaginosas, 4% a raízes e tubérculos, 2% ao algodão e outros 2% para as matérias-primas destinadas à produção de açúcar. Os outros 36% são alocados para leguminosas (feijão, lentilha etc), frutas e vegetais.

No período analisado pelo informe, a produção global de cereais deverá crescer cerca de 1% ao ano, o que significa um aumento total em 2026 de 11% para o trigo, 14% para o milho, 13% para o arroz e 10% para os chamados cereais secundários. Para a soja, a projeção é de que a produção mundial continue se expandindo, mas em um ritmo de 1,9% por ano, abaixo da taxa de crescimento de 4,9% anual da última década.

No caso de milho, a expansão da área representará apenas 10% do aumento total da produção. A América Latina vai contribuir com 28% no aumento total da produção de milho, ou 39 milhões de toneladas.

O documento afirma ainda que, Argentina e Brasil experimentaram a maior expansão das áreas cultivadas nos últimos dez anos, somando respectivamente 10 milhões de hectares e 8 milhões de hectares às terras de plantio em todo o mundo. Nos próximos dez anos, a expectativa é de expansão similar para esses dois países.

Safra recorde no Brasil em 2017

Os últimos números relativos ao Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, referentes a junho e divulgados nesta terça-feira, 11 de julho, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estimam que a produção total de cereais, leguminosas e oleaginosas deverá atingir 240,3 milhões de toneladas na safra 2017. O resultado, além de ser recorde, é 30,1% maior do que a safra de 2016, que foi de 184,7 milhões de toneladas.

A estimativa da área a ser colhida também subiu 7% em 2017, atingindo 61 milhões de hectares, frente a área colhida de 57,1 milhões de hectares de 2016. São esperados recordes na produção da soja e de milho. As previsões indicam que a safra da soja atinja 114,8 milhões de toneladas, resultado 19,5% superior ao colhido em 2016, enquanto a do milho deverá atingir 97,7 milhões de toneladas, crescimento de 53,5% em relação ao ano passado.